Notícias

Vereador Isac participa de Audiência Pública sobre Lei Maria da Penha nas escolas municipais

A Audiência Pública aconteceu no plenário da Câmara Municipal de Aracaju, e discutiu a execução da Lei de n° 5.195/2019, que tem por objetivo tratar sobre o ensino de noções básicas da Lei Maria da Penha nas escolas municipais de Aracaju. "Prevenção e educação esse é o maior objetivo, mas o Brasil não trata assim. Dizer que as crianças são o futuro do país, é um erro. A gente tem que dizer que elas podem sim fazer a mudança a partir do hoje. A casa é um lugar de afeto e respeito. Nossa missão é criar um mundo melhor", disse Valdilene Martins, representante da Associação da Advocacia Negra em Sergipe. 

A secretária municipal da educação, Cecília Leite, fez o seguinte questionamento: "A lei é necessária? Sim. Afinal a sociedade é marcada pela violência. Violência de gênero. Mulheres e crianças são as principais vítimas da violência doméstica. Educando crianças para o fim da violência contra a mulher, vamos criar cidadãos melhores. Vamos fazer dessa bandeira, a bandeira da educação".  Já a promotora  do Ministério Público Estadual, e diretora do Centro Operacional e Apoio a Mulher, Euza Missano, além de reafirmar seu apoio disse que, "a lei representa avanços no município de Aracaju, e que a lei precisa ser efetivada para que a mulher seja o que ela quiser ser. E esse sim é o ponto de equilíbrio para firmar espaços nessa participação de evolução". 

O vereador Isac Silveira que secretariou a Audiência Pública fez questão de parabenizar a todos envolvidos, em especial ao vereador Seu Marcos, autor da Lei. "Depois de escutar todas as falas, eu parei e pensei: quando eu passei a ser machista? Meu pai sempre foi muito compreensivo com minha mãe, mas durante a minha adolescência eu escutei muitos diálogos machistas. Acredito que essa lei municipal vai nos ajudar através da escola a desconstruir essa imagem machista. Agora é hora de caminhar, é hora da lei tomar vida nas escolas e estou muito feliz com todos os envolvidos nesse projeto para construir uma sociedade diferente, para que as pessoas possam respeitar as mulheres", disse Isac.

Artigos relacionados