Notícias

Economia e taxa de desemprego foram assuntos debatidos por vereador Isac

Em todo o Brasil já são mais 13 milhões de pessoas desempregadas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aumentando o número de desocupados desde o mês de janeiro. Durante discurso na Câmara de Vereadores de Aracaju, o vereador Isac Silveira (PCdoB), relatou que muitos estudiosos estão considerando a década como perdida economicamente, já que o crescimento não chega a 1%, e que, até agora, o governo Bolsonaro não apresentou nenhuma iniciativa nesse aspecto. “O que vemos é um governo letárgico, de briga interna, de uma família que se envolve em vários problemas, e que tudo isso prejudica a economia e o andamento deste país. Meu sentimento é que estamos jogados a própria sorte”, desabafou o parlamentar.

Durante seu discurso Isac deixou claro que não estava atribuindo apenas a Bolsonaro todos os males da nação, da história, mas que a população deve considerar que não houve, ainda, nesses meses, uma iniciativa de linha de crédito. “As pessoas precisam adquirir, comprar, financiar para colocar a economia para andar e, esse governo, pelo que temos visto, não aponta saída para os trabalhadores, que estão em estado de miséria, e essa é uma parte grande da população. Eu vivo sendo cobrado por pessoas que pedem emprego, e nós não temos condições de ajudar. A economia parou, e estamos vivendo um caos”, relatou o parlamentar.

O vereador também chamou a atenção sobre os recursos para a pasta da educação. “O ministro da educação colocou como condição que só liberaria recursos para educação, caso a Reforma da Previdência fosse aprovada, sob forte ameaça de acabar com os Institutos Federais de todo o país”. Isac ainda lamentou que os efeitos da Reforma da Previdência só poderão ser vistos ao longo de mais de vinte anos, e questionou: “O que isso tem a ver? É um discurso nojento que esse governo faz. Temos que perceber que todas essas ações são para beneficiar o setor privado, e nós não podemos aceitar isso calados. É preciso que nós façamos um coro em favor do povo brasileiro. O Brasil está se comportando como um país quebrado e não é, usando a Reforma da Previdência para fazer seus acordos nojentos”, falou Isac em tom de revolta pelos atos ocorridos com o país.  

Artigos relacionados